Comunicado ADAB

A ADAB, em respeito a comunidade do atletismo, visando absoluta e total transparência, comunica que lamentavelmente não recebeu NENHUMA resposta ao e-mail encaminhado no dia 26 de dezembro à todos os integrantes da Assembleia Geral. O citado e-mail tinha como finalidade solicitar apoio para a realização de uma Assembleia Geral Extraordinária tendo em vista as graves denúncias publicadas contra a CBAt relacionadas a fortes indícios de corrupção. Para que não restem dúvidas, à título de ilustração, estamos publicando os documentos formais que materializam uma única denúncias, dentre várias. São 13 documentos, com o seguinte teor: 
1) Regulamento do Troféu Brasil 2014 (http://www.cbat.org.br/regulamentos/TB_14.pdf), onde destacamos o Artigo 8º que estabelece que "As despesas com transporte, hospedagem e alimentação das delegações são de
responsabilidade das respectivas entidades participantes...". 
2) Recibo manuscrito no valor de 555 mil reais referente ao "pagamento de hospedagem e alimentação" (café da manhã, almoço e jantar) durante 5 dias para 370 pessoas, nominalmente identificadas na listagem que acompanha o recibo. Segundo o recibo, a CBAt custeou despesas no valor de R$ 1.500,00 (um mil e quinhentos reais) para cada integrante da listagem. 
3)Listagem completa contendo os 370 nomes das pessoas que teriam sido beneficiadas pelo pagamento das despesas de que trata o recibo.
Destacamos que está comprovado que, no mínimo, mais de uma centena de atletas já declararam que não tiveram nenhuma despesa custeada pela CBAt, não se hospedaram em nenhum hotel custeado pela CBAt nem receberem nenhum auxílio alimentação. E mais, muitos dos atletas citados na lista sequer foram ao Troféu Brasil 2014.
O certo é que esses 555 mil saíram do erário do Estado de São Paulo através da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Estado de São Paulo. Esses recursos chegaram a CBAt, que justificou o seu gasto através desse RECIBO, cujas despesas, em sua maioria, não foram realizadas. 
Necessário destacar que não se trata de uma Nota Fiscal, mas de um simples recibo manuscrito que sequer cita o nome do hotel. A não emissão de uma nota fiscal já caracteriza indícios de sonegação fiscal, que nesse caso pontualmente apresenta-se como apenas um de tantos crimes cometidos.
A CBAt, através de nota postada em seu website, não contesta essas provas, afirma apenas que "as contas foram aprovadas pela Secretaria de Esporte e pelo Tribunal de Contas do Estado de São Paulo." 
É inegável que tanto a secretaria quanto o tribunal de contas apreciaram o que foi apresentado pela CBAt, na máxima de que "o papel aceita tudo"; existem fortes indícios de que tanto a Secretaria e Esporte como o TCE foram induzidos ao erro baseados em documentos que não traduzem a verdade.
Face ao exposto, rogamos para que as Federações e todos os demais integrantes da Assembleia Geral da CBAt revejam a sua postura quanto a necessidade da Convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária.
Não tenham medo, não se acovardem, não sirvam de escudo para quem não consegue justificar o que está materialmente comprovado.
Compete a vocês decidirem como querem deixar os seus nomes registrados na história do nosso esporte. 
Compete a vocês serem os protagonistas dessa investigação e dos seus desdobramentos, ou omissos sejam lembrados como cúmplices.
A sociedade brasileira despertou contra esse câncer que é a corrupção, é inaceitável que os detentores do poder no atletismo nacional fechem os seus olhos para essa triste realidade.
Temos absoluta certeza que a justiça prevalecerá, o Ministério Público receberá elementos contundentes e indícios de provas incontestáveis; com isso seguramente a investigação será breve e contunde; os responsáveis serão denunciados na esfera civil e penal.
É triste ver que, para muitos, os interesses pessoais estão acima do compromisso com o Atletismo e com a preservação da instituição Confederação Brasileira de Atletismo.
Solicitamos a todos da comunidade do atletismo que façam chegar esses documentos aos integrantes da Assembleia Geral.
Pedimos ainda, para que não restem dúvidas, que aqueles que tiveram o seu nome utilizado como "laranja" nessa listagem se manifestem escrevendo "Declaro que o meu nome foi incluído indevidamente nessa listagem, pois não me hospedei e não tive nenhuma despesa custeada pela CBAt durante o Troféu Brasil 2014".
É necessário a união e a participação de todos!
Justiça!

Deixe um comentário

Parceiros