Página 1 de 38
Elisângela Maria Adriano é eleita presidente da ADAB.
Fundada em 2015, a ADAB será presidida nos próximos anos pela ex Atleta e gestora Elisângela Maria Adriano.
Em eleição realizada no dia 19 de setembro associados de todo o país elegeram a nova Diretora Executiva e o Conselho Fiscal que conduzirá a entidade até o dia 19 de setembro de 2023.
Além da presidente Elisângela Maria Adriano várias mulheres ocupam cargos de destaque, a medalhista olímpica Rosemar Coelho Neto está a frente da diretoria de base e formação, Joana Ribeiro Costa foi eleita diretora de comunicação e marketing, Cintia Maria Camossato Fonseca conduzirá a diretoria de master, Andreia Gomes Naves integra o conselho fiscal.
A região nordeste está representada na diretoria pelo Treinador Abraão Joaquim do Nascimento Irmão, eleito diretor de paradesporto.
A diretoria técnico científica e de alto rendimento será conduzida pelo Treinador bi campeão olímpico Nelio Alfano Moura.
Rogério Bispo conduzirá a diretoria social, cultural e educacional.
O ex presidente Clodoaldo Lopes do Carmo agora estará a frente da diretoria executiva.
Para a primeira secretaria foi eleito o árbitro João Carlos dos Santos.
Jeferson Ilário, Geraldo Maranhão Junior e Wlamir Motta Campos foram reconduzidos aos seus cargos.
Integram ainda o Conselho Fiscal Bruno Campos Reis, Antônio Cosme da Silva, Manoel Toledo Pires, Edgar Pereira da Silva e o medalhista olímpico Arnaldo de Oliveira Silva.
Necessário destacar que todos os cargos da ADAB são voluntários.
O objetivo da ADAB é promover, desenvolver, fomentar, massificar e democratizar a prática do Atletismo em nosso país.
Para atingir essa finalidade promovemos a democratizacão do conhecimento das mais diversas formas, realizamos o controle social das entidades responsáveis pela administração do esporte, promovemos ainda atividades socioculturais, esportivas, recreativas.
Destacamos ainda que uma das nossas principais finalidades consiste em divulgar, difundir e preservar a memória de todos aqueles do Atletismo que divulgaram e honraram o nosso país.
A ADAB agradece a Dobermann CrossFit na pessoa dos sócios Professores Allan e Gisele pela generosidade e solidaridade de fazerem da academia um ponto de coleta da nossa Campanha Tênis Solidário!
No dia de ontem dezenas de pares de tênis arrecadados na Dobermann CrossFit já foram entregues à ADAB.
A Gisele é ex Atleta do Atletismo da prova dos 100 metros com barreiras, era treinada pelos Professores Nelio e Tânia Moura.
Seu marido, Professor Allan foi Atleta do judô.
Agradecemos também o nosso associado e atleta olimpico Jefferson Sabino por ter buscado mais essa parceira, o "Jeffão" vem fazendo esse trabalho na busca de parcerias há dois anos, o resultado são centenas de tênis arrecadados.
Nossos agradecimentos a todos os sócios e os alunos da Dobermann CrossFit pelas doações!
Saibam que vocês estão ajudando vários projetos sociais que utilizam o Atletismo como ferramenta de inclusão e transformação social de centenas de crianças e jovens,. principalmente em situação de vulnerabilidade social.
MUITO OBRIGADO!❤️
@dobermanncrossfit
@gimarculino
@allanbufon
@jeffaojump

A Associação Brasileira de Árbitros de Atletismo estará promovendo uma fala com o Fisioterapeuta Marcos Signorelli sobre o limite do toque terapêutico. Este pedido de abordagem no tema vem do Movimento Mulheres do Atletismo. Sabemos que o fisioterapeuta, ao cuidar de pessoas, dependendo da lesão, precisa tocar em locais que podem deixar o paciente de forma desconfortável. Mas o tema surgiu pois há atletas que relataram que alguns fisios tem a "mania" do "tapinha na bunda" após alguma intervenção, achando isso "normal". Este movimento surgiu na necessidade do enfrentamento ao assédio e abuso no esporte. Desta forma, conversamos com profissional que atua com pesquisas na área e com o pedido de também abordar o que poderia ser feito pelo profissional de forma a esclarecer, caso haja a necessidade de tocar em partes que possam deixar o paciente desconfortável. Como proteger todas as partes envolvidas no cuidado!

Neste 29 de setembro de 2020 a lenda Adhemar Ferreira da Silva estaria completando 93 anos. Ele nos deixou em 12 de janeiro de 2001. A ADAB rende homenagens a esse atleta brilhante, primeiro bicampeão Olímpico do país.
Conquistou as medalhas de ouro no salto triplo nos Jogos de Helsinque em 1952 e de Melbourne em 1956. Em 2012, foi imortalizado no Hall da Fama do Atletismo. Ele é o único brasileiro a representar o país no salão da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), criado como parte das celebrações pelo centenário da instituição.
Adhemar também foi um escultor formado pela Escola Técnica Federal de São Paulo (1948), Educação Física na Escola do Exercito, Direito na Faculdade Nacional de Direito  da Universidade do Brasil (1968) e Relações Públicas na Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero (1990).[Foi adido cultural na embaixada  brasileira em Lagos, na Nigéria, entre 1964 e 1967.
Dentre as finalidades estatutárias da ADAB está a divulgação, difusão e preservação da memória de todos aqueles que através do Atletismo divulgaram e honraram o nosso país. Adhemar Ferreira da Silva é o símbolo maior de tudo isso!
O prazo limite para o Presidente da República sancionar o PL 2824 é 14 de outubro.
É necessário a mobilização de todos para que a sanção ocorra sem vetos e o mais rápido possível, para que a lei então passe a vigorar.
Jebs de 2021 reunirá mais de sete mil atletas de todos os estados no Rio de Janeiro
Retomada do evento escolar para a faixa de 12 a 14 anos vai proporcionar a disputa de 17 modalidades em sete dias de competições e aproveitará a estrutura dos Jogos Rio 2016
Um evento que vai reunir cerca de 7,5 mil crianças e adolescentes na faixa etária de 12 a 14 anos, para a disputa de 17 modalidades, e que servirá como seletiva em 10 delas para os Jogos Sul-Americanos Escolares. Essa é a configuração prevista para a retomada dos Jogos Escolares Brasileiros (Jeb's), em 2021, no Rio de Janeiro. A organização será da Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), com suporte da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. O evento terá duração de uma semana e será realizado entre setembro e outubro (a data precisa ainda será confirmada).
(Fonte: Secretaria Nacional do Esporte)
O Projeto de Lei 2824 acaba de ser aprovado, às 17h42 pela Câmara dos Deputados e segue para sanção presidencial.
O Presidente da República terá agora 15 dias úteis para sancionar a matéria.
Após a sanção e a publicação no Diário Oficial da União a lei passará a vigorar.
Nossos cumprimentos a todos que trabalharam pela aprovação desse projeto emergencial tão importante para o esporte nacional.
O único partido que votou contra o projeto foi o NOVO.
Convite da AAVPS para toda a Comunidade Master do Brasil!
Graças a Deus estamos conseguindo passar pela terrível pandemia da Covid 19.
Alguns de nós devem ter passado por momentos muito difíceis com a perda de algum parente, amigo ou conhecido. Para esses os nossos mais sinceros pêsames.
Agora, com todos os cuidados necessários, tudo o que mais queremos é estar juntos, confraternizar e celebrar, mesmo mantendo as distâncias seguras.
E, para nós atletas, não há nada melhor que competir e participar de uma competição de nível como é o nosso Campeonato Paulista de Atletismo Master.
Diante de tudo isso, a AAVSP tem a honra de convidá-lo a participar dessa festa de celebração à vida.
Para obter todos os documentos relativos à competição, acesse o nosso Blog:
O Dia Nacional do Atleta Paralímpico é comemorado em 22 de setembro.
Esta data visa homenagear, apoiar e divulgar todo o trabalho dos atletas paralímpicos, além de agir como uma ferramenta de inclusão das pessoas com deficiência.
O objetivo também é pôr em evidência todas as necessidades, reivindicações e lutas enfrentadas pelos esportistas brasileiros com deficiência.
Atualmente, o Brasil é uma das nações com maior representatividade a nível de desporto paralímpico, com excelentes atletas que são referências internacionais.
Nossos cumprimentos aos valorosos Atletas paralímpicos, seus treinadores, guias, equipe multidisciplinar, gestores e todos fomentam e desenvolvem o paradesporto.
Leonardo Placucci Filho nasceu em 18 de setembro de 1961, na cidade de São Paulo. Filho de professores, o jovem logo cedo teve contato com o esporte e a educação, mal sabia que futuramente seu nome estaria marcado na história do desporto universitário.
Tudo começou em 1958, quando seu pai, educador Leonardo Placucci, assumiu a direção de uma pequena escola na Zona Norte da Capital Paulista, mais precisamente no bairro de Santana. Um apaixonado pelo esporte, Leonardo implementou um esquema de bolsas de estudos para atletas, a fim de incentivar os jovens a prática de exercício.
O plano deu certo e logo as primeiras equipes começaram a ser formadas. O atletismo, esporte que mais atraiu estudantes, realizava seus treinos no clube Espéria e tinha grandes resultados. Em provas de rua na capital, o time era presença confirmada.
Anos se passaram, a iniciativa de Leonardo estava grandiosa, e foi na década de 1970 que a pequena escola tornou-se uma universidade: A Faculdade de administração e ciências econômicas Santana”.
Não demorou muito para que a primeira atlética da instituição fosse formada, e seguindo os planos de Leonardo, passou a fornecer bolsas de estudo para alunos-atletas, tornando-se muito provavelmente a precursora desse esquema no Brasil.
Leonardo Filho cresceu nesse ambiente, sempre muito prestativo o jovem logo se interessou pelas ideias do pai e decidiu trilhar seu caminho através do desporto universitário.
Com apenas 16 anos, o adolescente foi convidado a acompanhar a equipe de futebol de campo a uma viagem para o Paraguai e assim fez, viajando pela primeira vez para o exterior. Nesse momento a vida de Leonardo Filho teve um insight e ele começou a se interessar e entender melhor sobre gestão e organização de eventos esportivos, sem pestanejar, o garoto se apaixonou.
Com o seu objetivo de vida traçado, outras viagens dentro do Brasil e com outras modalidades passaram a acontecer, cada vez mais a paixão pela gestão e pelo esporte se fixava na vida do jovem menino.
Três anos após a ida ao Paraguai, era a hora de desbravar a Europa, e junto com o futebol de campo novamente, Léo viajou para Dinamarca, Alemanha, Noruega e para a antiga União Soviética.
Nas palavras do próprio Leonardo “Foi um intercâmbio esportivo, cultural e também muito marcante pelo fato de uma instituição de ensino superior brasileira ter conseguido atravessar a cortina de ferro Soviética”
Como já podíamos imaginar, seguiu sua carreira universitária na própria Sant’Anna, sendo assim assumiu a atlética da faculdade e comandou por alguns anos. Nesse meio tempo, o atletismo da universidade Sant’Anna, que já era reconhecido no meio estudantil, acabou se tornando o carro chefe e legitimado mundialmente.
Em 1988, Leonardo e alguns desportistas da faculdade, foram convidados para uma competição em solo argentino, porém não era universitário. A província que recebeu os brasileiros foi Santa Fé. Além dos portenhos, havia paraguaios, uruguaios e chilenos, mesmo assim a delegação brasileira levou a melhor, se consagrou campeã e logo recebeu um segundo convite para retornar no ano seguinte.
A parceria Brasil-Argentina durou por 4 anos seguidos, até que surgiu uma idéia: O campeonato ser realizado no Brasil. Leonardo abraçou a ideia e logo começou a trabalhar em cima da hipótese. Após muito discutir e pensar juntamente com seu pai e com João Alberto Souza, um professor da instituição, ficou decidido que o torneio aconteceria e faria uma justa homenagem a Adhemar Ferreira da Silva, atleta bicampeão olímpico de atletismo brasileiro.
Para formalizar, Leonardo Filho entrou em contato direto com Adhemar, que de imediato deu seu aval e ali surgia uma grande parceria entre o desportista olímpico e a Uni Sant’Anna. Em 1992 aconteceu o primeiro Troféu Adhemar Ferreira da Silva.
A união deu tão certo que em 1996, o atleta bicampeão foi convidado para ser coordenador de esportes da Universidade, nesse cargo implementou diversas modificações no programa de bolsas de estudos, mudanças nas quais estão em funcionamento até os dias atuais e beneficiam diversos alunos que querem estudar e ao mesmo tempo sair do sedentarismo.
Sobre a vida? Leonardo é extremamente grato: “Atuei em um projeto que iniciou em 1958 e dá bons frutos até hoje, sou muito grato por isso” e completa “O esporte além de tudo, me deu oportunidade de fazer grandes amizades e eu costumo dizer que as relações feitas no meio desportivo e educacional, são amizades diferenciadas, muito mais sólidas e verdadeiras”.
No dia 20 de março de 2019, Leonardo Placucci Filho recebeu uma comenda do desporto universitário brasileiro, pela CBDU (Confederação Brasileira do Desporto Universitário) por toda sua trajetória no esporte.
Após sofrer um derrame de tronco em 2012, Leonardo Placucci Filho voltou a assistir uma competição de Atletismo em 2018 como convidado de honra para prestigiar o Troféu Brasil CAIXA de Atletismo, o mesmo ocorrendo em 2019 e ela já confirmou presença na edição de 2020.
Fonte: (CBDU)
O Brasil perdeu nesta segunda-feira a antiga velocista aos 92 anos, em Santos, onde será sepultada nesta terça-feira
Bragança Paulista - Benedicta Souza Oliveira, que disputou os Jogos Olímpicos de Londres, em 1948, faleceu nesta segunda-feira (dia 14/9/2020), às 22 horas. Em Londres, correu os 100 m e o 4x100 m, quando formou a equipe brasileira com Melânia Luz, Elizabeth Clara Muller e Lucila Pini. O velório será às 13 horas deste dia 15/9, na Beneficência Portuguesa, e o sepultamento às 15 horas, no Cemitério do Paquetá, em Santos.
A Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) manifesta pesar e manda os sentimentos da comunidade do atletismo aos amigos e familiares.
Benedicta Souza Oliveira, tia do treinador Rogerio Luiz de Oliveira, nasceu no dia 10 de outubro de 1927, em Jundiaí, mas mudou para Santos, onde teve sua iniciação esportiva no vôlei de praia (representou a cidade nos Jogos Abertos do Interior de 1945, nas seleções de vôlei e atletismo). Ganhou destaque como velocista - foi campeã paulista, brasileira e sul-americana nos 100 m - por clubes paulistas que representou.
O auge de seu desempenho como atleta foi a sua participação na Olimpíada de Londres em 1948. Encerrou sua carreira em 1956.
Formada em Educação Física foi a primeira técnica do atletismo no Brasil e atuou em campeonatos nacionais, Jogos Pan-Americanos e Olímpicos, de 1971 a 1983. Atuou como treinadora do Clube Espéria, em São Paulo, por 29 anos, onde conquistou respeito e admiração pelo seu trabalho e dedicação na formação de novos atletas.
Em 1960, formou-se em Comunicação, com especialidade em Jornalismo, pela Faculdade de Comunicação de Santos, atual Unisantos.
"Fui amigo dela, fizemos estágio juntos em Mainz, na Alemanha, em 1975. Apresento meus sentimentos. em meu nome e da comunidade do atletismo, aos familiares e amigos", disse Warlindo Carneiro da Silva Filho, presidente do Conselho de Administração da CBAt.
A Caixa é a Patrocinadora Oficial do Atletismo Brasileiro.
(Fonte:CBAt)
Informamos que a Câmara dos Deputados deverá votar na sessão de quinta-feira, dia 17, à partir das 10 horas, as mudanças feitas pelo senadores no PL 2824.
Lembrando que o PL 2824 prevê medidas para ajudar o setor esportivo durante o estado de calamidade pública provocado pela pandemia de COVID 19.
O Projeto foi aprovado pela Câmara no dia 16 de julho, conforme o parecer do deputado Alexandre Frota. No Senado ele sofreu várias modificações, por essa razão voltou para apreciação da Câmara dos Deputados. Na sessão de quinta-feira os deputados apreciarão apenas as alterações feitas no Senado, ou seja, nada mais pode ser incluído no Projeto, a discussão é se mantém ou não as alterações do Senado. O parecer preliminar do Deputado Alexandre Frota recomenda a aceitação de todas as mudanças feitas pelos Senadores.
O Projeto sendo votado na quinta-feira ele seguirá para a Presidência da República, o Presidente então terá o prazo de 15 duas úteis para sancionar o Projeto, que então será convertido em lei.
Uma vez que a lei é publicada no Diário Oficial da União ela passa a vigorar.
Eleições realizadas no sábado, dia 12 de setembro, asseguraram a reeleição do presidente da Federação Paulista de Atletismo, Professor Joel Lucas Vieira de Oliveira.
A ADAB é representada na diretoria pelos nossos valorosos associados que ocuparão os cargos de primeiro vice-presidente com Rogério Bispo, segunda vice-presidente com a Medalhista Olímpica Thaissa Barbosa Presti de Lima, Conselheiro Fiscal Antônio Cosme da Silva e conselheiros fiscais suplentes Edgar Pereira e Rita de Cássia Santos de Jesus.
Desejamos sucesso a toda diretoria no próximo quadriênio.
@atletismopaulista
@r_bispo
@thapresti
@acs_360
@edgarpereira.samba
@ritinhacsjesus
Através de agradáveis encontros meramente sociais, durante alguns anos, ex-atletas passaram a dialogar sobre os caminhos do esporte, em especial o atletismo, em nosso País.
Nestes encontros sempre foi possível rever grandes amigos, relembrar bons momentos e compartilhar boas e interessantes histórias de atletas de 3 ou 4 gerações distintas.
Estendendo-se às redes sociais, e cada vez mais ganhando novos participantes, observou-se que alguns aspectos no atletismo, discutidos em rede, mostravam-se presentes em diferentes gerações e que seriam pontos importantes para trocar ideias, discutir os problemas e buscar soluções viáveis ao desenvolvimento do atletismo nacional.
 Com diferentes especialidades e atuações em áreas variadas, esse grupo de ex-atletas, idealizadores, e porque não dizer sonhadores, decidiu criar uma organização que lhe desse a oportunidade de contribuir de modo mais eficaz no desenvolvimento do Atletismo Nacional.
Assim nasceu a ADAB, Associação Desportiva Atletismo Brasil, de um grupo de diferentes gerações, mas com o mesmo ideal de contribuir de modo efetivo no desenvolvimento deste esporte como um todo.
Uma associação que tem como principal objetivo trabalhar em prol do atletismo nacional, fomentando ações que estimulem projetos de capacitação, orientação e apoio a todos aqueles que fazem parte da construção deste esporte. Esporte esse, que para muitos, foi o alicerce, a base da educação, formação profissional e todas as conquistas alcançadas dentro e fora das pistas.
 É também, uma forma de retribuir com alegria, um pouco de tudo que foi proporcionado e que os tornaram vencedores no esporte e na vida.
 A ADAB é uma entidade sem fins lucrativos, mantida exclusivamente com recursos dos nossos associados, não recebemos nenhuma recurso público ou privado, com isenção, autonomia e independência buscamos somar esforços com as entidades que regem e desenvolvem o atletismo.
Criada para apoiar e fomentar o Atletismo em nosso país a ADAB está aberta as todas as possibilidades de forma propositiva a participar e discutir os rumos do Atletismo brasileiro, sempre com total isenção e imparcialidade.
Página 1 de 38

Parceiros